Arquivo da categoria: Fique atento!

Você precisa ler os rótulos!

Lendo rótuloQuando descobri que era Intolerante à Lactose, procurei um gastroenterologista para me orientar sobre como conviver com esta condição. A primeira coisa que ele me disse foi: “Leia os rótulos! A maioria dos alimentos industrializados contém leite, ou traços de leite na sua composição”.  Tomei aquela regra para mim como uma verdadeira lei. De lá pra cá, a leitura de rótulos passou a ser parte da minha rotina. O que me salvou de diversos apuros, pois um simples biscoito tipo água e sal pode ter traços de leite. Minha IL não é severa, mas é sempre melhor prevenir do que remediar…

Já repararam que eu sempre coloco a lista de ingredientes e a tabela nutricional dos produtos que comento aqui no blog? Foi lendo atentamente estes dois elementos das embalagens que comecei a descobrir inúmeros produtos que são seguros para serem ingeridos por quem tem Intolerância à Lactose, principalmente em lanches rápidos quando estamos na rua. E continuo sempre em busca de novidades para compartilhar com vocês.lupa no rótulo

Entendendo os rótulos
O rótulo dos alimentos traz informações sobre a composição e a origem dos produtos. Assim é possível ter um melhor controle e a redução de riscos da gente comer algo que vai fazer mal.

Devemos sempre verificar o rótulo (fabricante, o lote, os prazos de validade), a tabela nutricional (valor energético, proteínas, gorduras, carboidratos e fibras, e valores de ingestão diários) e a relação de ingredientes. Os ingredientes utilizados para a fabricação do produto alimentar são apresentados em ordem decrescente. O primeiro ingrediente está em maior quantidade no produto, e o último, em menor quantidade. Quer um exemplo? Nos adoçantes em pó, a lactose é o principal ingrediente.rotulos

A tabela nutricional traz basicamente as seguintes informações:

  • Porção – Quantidade média do alimento consumida por pessoas adultas.
  • %VD – Percentual de valores diários e uma média de consumo calórico para um adulto saudável em relação a uma dieta de 2000 calorias.
  • Valor energético – Quantidade de energia em cada porção do alimento. É expressa na forma de calorias (kcal) e quilojoules (kJ).
  • Carboidratos – Têm como principal função o fornecimento de energia. Podem aparecer de forma mais detalhada indicando a quantidade de lactose, glicose, galactose, como no caso de leites de baixa lactose;
  • Açúcares – Indica a quantidade de açúcar contido nos alimentos, mas nem todos os produtos separam o açúcar do carboidrato na tabela.
  • Proteínas – Necessárias para a construção e manutenção dos nossos órgãos, tecidos.
  • Gorduras totais – Soma das gorduras de todos os tipos presentes no produto, tanto de origem animal quanto vegetal. Indicam a soma das gorduras trans, saturadas e insaturadas.
  • Gorduras saturadas – São as gorduras presentes nos alimentos de origem animal.
  • Gordura trans –  O consumo desse tipo de gordura deve ser muito reduzido, porque pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Dê preferência à produtos sem gordura trans.
  • Fibra alimentar – A ingestão de fibras auxilia no funcionamento do intestino.
  • Sódio – O consumo excessivo pode levar a um aumento da pressão arterial.

_rotulos_de_alimentosTambém podem aparecer outras informações como:

  • Colesterol – Deve ser avaliado por quem está com o colesterol LDL elevado.
  • Gorduras insaturadas: monoinsaturadas e poli-insaturadas – São as chamadas “gorduras boas” e fazem bem à saúde;
  • Cálcio – As mais comuns fontes de cálcio são o leite e os derivados. Nós Intolerantes à Lactose precisamos fazer suplementação de cálcio com outros tipos alimentos, por isso é importante ficar atento para os alimentos enriquecidos com cálcio;
  • Vitaminas – Alguns produtos como farinha, achocolatado e biscoitos industrializados são enriquecidos com vitaminas;
  • Lactose – Costuma ser descriminada no caso dos derivados de leite de baixa ou zero lactose (porque tem a lactase na composição).

A Universidade Federal de Alfenas – Unifenas disponibilizou em seu site uma interessante cartilha com dicas e exemplos sobre a leitura dos rótulos dos alimentos.lendo o rótulo

Com estas informações, espero ter ajudado a destacar a importância da leitura dos rótulos dos alimentos para quem quer ter uma alimentação mais saudável e, principalmente, para nós que convivemos com a IL. Precisamos lembrar que temos uma restrição alimentar e que insistir em ingerir lactose vai trazer muita dor de barriga, entre outros desconfortos.

E você, está atento ao que come? Quer compartilhar sua experiência com a gente?

Paçoquita Cremosa não tem lactose!

Boa notícia! Um dos mais queridos e procurados doces do país não tem lactose!
Paçoquita_CremosaNão é mesmo uma grande notícia? A paçoca é um dos doces mais conhecidos e apreciados em nosso país. E nem é preciso esperar as festas juninas para poder consumir essa iguaria.

Por isso, quando foi lançada em julho de 2014, a Paçoquita Cremosa gerou uma verdadeira corrida aos supermercados, mercadinhos, lojas de conveniência. E como foi difícil encontrar o produto!paçoquita4A Paçoquita Cremosa é o que promete ser: versão em formato de creme da tradicional e deliciosa paçoca. Ela realmente mantem as características do produto original, o sabor inconfundível de paçoca.pacoquita-cremosa3Com uma textura macia e com pedacinhos de amendoim, a Paçoquita é muito fácil de espalhar e combina com pão, biscoito, torrada, bolo. Mas eu prefiro é mesmo comer pura!
pacoquita-cremosa-pasta-de-amendoim-doce-180g-santa-helenaIngredientes: amendoim torrado sem pele, açúcar, gordura vegetal fracionada, óleo de amendoim e sal. Não contém glúten. É um alimento que não tem nenhuma matéria prima de origem animal, por isso, não tem lactose. Contém ainda uma boa quantidade de proteína e vitamina E, naturalmente presentes no amendoim.
paçoquitaO preço não é dos mais saborosos: a partir de R$7,00, para um potinho de 180 gramas. E também não é para comer todos os dias, pois uma colher de sopa (20 gramas) tem 114 calorias.

Lei Da Lactose

leilactoseAmigos, preciso da ajuda de vocês: como já sabem, tenho Intolerância à Lactose e estou apoiando um abaixo assinado que pede a LEI DA LACTOSE, obrigando os fabricantes a informarem se os alimentos têm ou não têm lactose.

Ajude assinando o abaixo assinado, é rápido e fácil. www.change.org/LeiDaLactose

Iogurte Danubio sem lactose

Esse post poderia chamar também ‘Bonitinho, mas sem graça’. Explico: toda vez que encontro algum produto novo e sem lactose no supermercado, fico empolgada. E desta vez, a surpresa já começa pela embalagem. yOGURTE danúbioIogurte em pote de vidro! Que lindo! E a cor, rosa claro (porque comprei o iogurte de morango) também é sedutora, pois já deixa a entender que o produto é diferente, mais denso que os demais. O preço não era lá estas coisas – R$3,35, mas resolvi experimentar o que tinha dentro deste potinho parecido com o de papinha para neném. PACK-YOGURT-DANUBIO-SEM-LACTOSE-_-FRUTAS3-1024x524A consistência o aroma são mesmo diferentes, agradam a visão e o olfato. Mas o paladar… que iogurte ácido! Quase pinguei umas gotinhas de adoçante para ver se melhorava. A cara de ‘que coisa azeda’ que o meu marido fez também não deixou dúvidas. O Iogurte Danubio sem lactose tinha tudo para ser ótimo, mas é ácido e sem doce. Um pouquinho só de açúcar (ou adoçante) já faria a diferença. tabela nutricionalPor este preço e com este sabor, mesmo que o pote seja lindinho (guardei, vou usar para colocar geleias caseiras ou coisas do gênero) não voltarei a comprar não. Uma pena. Mas pode ser que tenha quem goste…

Lactase ajuda, mas não resolve!

Outro dia, descobri à duras penas que tomar comprimidos de lactase ajuda, mas não resolve, nem salva. O gastroenterologista já tinha avisado que para usar lactase, é preciso conhecer seu limite de Intolerância à Lactose. Agora entendo bem o porquê. ilTomar os comprimidos de lactase amplia nosso limite de ingestão de derivados de leite, mas não infinitamente. Por exemplo, usando a lactase, podemos com segurança tomar algumas bolas de sorvete. Mas não vai salvar no caso de um festival de sorvete. Assim como garante que a gente possa comer umas fatias de pizza, mas não resolve se você se empanturrar num rodízio. dor-abdominalO que aconteceu comigo é que chutei o balde numa festa na casa de uma amiga. Tomei dois comprimidos de lactase no começo da tarde, mas fiquei o resto do dia e parte da noite me deliciando com cookies, cupcakes recheados, pão de queijo, tudo com muita lactose. 

DesidrataçãoComo resultado: diarreia, desidratação, dores abdominais, indisposição, gases, barriga inchada. Foram quase três dias para conseguir me recuperar. E o aprendizado da importância de conhecer, e respeitar, os próprios limites. Quer comer até ficar lotada gostosuras e quitutes? Mais do que ter sempre à mão seus comprimidos de lactase, prefira (ou prepare você mesma) delícias sem lactose.

Resultado do exame de sangue

5993_0_gr

Fiz exame de sangue e o resultado traz alguns avisos:
– Glicemia jejum – 93 mg/dl;
– Colesterol HDL: 64 mg/dl
– Hemograma – Hemoglobina: 13,2 g/dl (nunca consegui passar disso); VCM: 80,2 fl; RDW: 14,9%.

comp2

O corpo está dando o sinal e é fundamental ouvir o que ele tem a dizer:
– Preciso comer mais alimentos de origem animal, no meu caso, mais carne;
– Preciso levar mais a sério a reeducação alimentar, adeus chocolatinhos (sem lactose), e balinhas em geral;
– Preciso me dedicar à malhação. Amanhã retorno à academia e também retomar as caminhadas, pelo menos 1,5 quilômetro por dia.

blood-620-size-598Um dos principais motivos para o meu tempo estar sendo mal aproveitado são as redes sociais. Agora vou ficar menos tempo na frente do computador e mais tempo com um livro ou caderno na mão, e mais tempo na bicicleta ergométrica ou no Wii. O aviso foi dado e quanto mais cedo eu tomar uma providência, melhor para mim.

Nova fase

novafaseUma nova fase para mim. Troquei de nutricionista. Voltei a malhar. Orientada pela nutricionista, cortei definitivamente o leite, mesmo o de baixa lactose. De acordo com a nutricionista, a lactoalbumina, uma das proteína do leite, faz do dele um dos produtos mais mucogênicos (formadores de mucos). Para pessoas,  que como eu, convivem com frequência com doenças do aparelho respiratório (rinite, sinutise, laringite, faringite…), o leite acaba aumentando ainda mais as secreções das mucosas.  Agora, leite aqui em casa é só para o marido, que toma café muito cedo para ir trabalhar, e não tem paciência para deixar suco pronto para beber pela manhã.

limonadaEu tenho feito bastante limonada. É mais tranquilo de preparar que a laranja. E no sacolão onde faço as compras tem três tipos de limão. Depois, posso tentar com lima, grapefruit e qualquer outra fruta cítrica. Além disso, temos sempre algum suco concentrado em casa, geralmente caju, manga ou goiaba. Também tenho uma centrífuga, que tem grandes possibilidades de sair de cima do armário.

Vamos ver como reage o meu organismo e minha imunidade nesta nova fase.