Arquivo da tag: Cálcio

Seis poderosas dicas para conviver com a Intolerância à Lactose

lactose-intolerância Criei este blog em fevereiro de 2012, logo que descobri que fiquei Intolerante à Lactose. Assim como encontrei na internet relatos e dicas que me ajudaram a conviver com a Intolerância à Lactose, queria compartilhar com vocês o que aprendi e descobri desde então. Descobrir mais pessoas que convivem com o mesmo problema, ajuda a lidar com a IL de um jeito mais saudável.

Só para deixar claro, você não está doente porque ficou Intolerante à Lactose. A Intolerância à Lactose não é uma doença. Trata-se de uma desordem do aparelho digestivo, que ocorre pela ausência ou pouca produção da enzima lactase, principalmente em indivíduos adultos. Essa enzima, a lactase, serve para quebrar a lactose – o açúcar do leite, permitindo que ele seja transformado em glicose e galactose, e sejam absorvidos pelo corpo. Quando transformação não acontece, a lactose permanece no intestino, onde é fermentada por bactérias, causando geralmente desconforto abdominal, gases e diarreia.

Nos adultos, a Intolerância à Lactose pode surgir em qualquer fase da vida, porém tende a piorar com o avanço da idade, sendo mais comum e mais grave entre idosos.

Não existe tratamento capaz de fazer o corpo humano voltar a produzir a lactase. Contudo, os sintomas podem ser facilmente controlados com dieta restritiva de lactose.

Para ajudar quem já tem IL faz tempo ou quem descobriu recentemente, segue uma lista com seis poderosas dicas para conviver com a Intolerância à Lactose.médico-ou-nutricionista1- Procure um especialista
Não adianta achar que tem Intolerância à Lactose e cortar os derivados de leite da sua dieta sem necessidade. Produtos lactéos são importantes fontes de nutrientes, vitaminas e minerais para o nosso organismo e nos privar destes alimentos sem necessidade é prejudicial. Por isso, procure um médico ou uma nutricionista e solicite o pedido para fazer o Teste de Tolerância à Lactose.Alimentacao-equilibrada2 – Tenha uma alimentação equilibrada
Se você procurou um médico, fez o teste e ficou confirmada sua Intolerância à Lactose, agora é hora de você fazer a sua parte. É preciso fazer uma mudança verdadeira e permanente de hábitos. Em primeiro lugar, altere sua dieta. Corte a lactose – leite e derivados, ou substitua por produtos zero lactose (já acrescidos da enzima lactase).

A falta de produtos lácteos costuma causar uma redução dos índices de vitamina B12 no organismo. Procure um nutricionista para auxiliar na elaboração de um cardápio equilibrado, rico em alimentos de origem animal.

Também é importante que você reduza a ingestão de biscoitos, pães e bolos industrializados, assim como embutidos. Eles contém traços de leite por serem preparados em locais onde são processados produtos com leite. Dependendo do nível da sua intolerância, traço de leite já faz passar mal.lendo-rótulos3- Leia os rótulos
Como saber o que é seguro comer dentre as diversas opções de produtos industrializados? Leia os rótulos! Dá trabalho, mas aumenta e muito sua segurança alimentar. Você vai descobrir, por exemplo, que a maioria dos adoçantes em pó tem lactose.

4- Faça uma suplementação de cálcio na sua dieta
Calma, não é pra sair comprando os primeiros comprimidos de cálcio que você encontrar na farmácia. Mas sim, aumentar a ingestão de alimentos que contenham cálcio. Esses são alguns dos alimentos com elevados índices de cálcio: amêndoas, gergelim, castanha do Pará, sardinha, salmão, feijão, grão de bico, aveia, couve, brócolis, beterraba e laranja. Uma nutricionista poderá ajudá-lo a elaborar um cardápio rico em cálcio.

5- Tome sol
Também não adiantar aumentar o cálcio da sua alimentação se você não conseguir fixá-lo no seu organismo. Para isso, você precisa tomar sol. É a forma mais barata e prática de aumentar o nível de Vitamina D do seu organismo. Lembre-se de que o horário seguro para tomar sol é até às 10 horas e após às 16 horas. O gastroenterologista ou um endocrinologista podem solicitar o exame de sangue que indica a quantidade de vitamina D do seu organismo e dar as orientações necessárias para elevar o nível da vitamina no seu corpo.

atividades-fisicas6 – Pratique exercícios físicos regularmente
O que isso tem à ver com a Intolerância à Lactose? Diretamente nada, mas a prática regular de atividade física fortalece os músculos, os ossos, os tendões, acelera o metabolismo e ajuda a aumetar sua resistência imunológica. Isto é, melhora sua qualidade de vida como um todo. Estes já não são motivos suficientes para você começar a malhar?

Mais duas dicas bônus:
chá-erva-doce→ Tenha sempre em casa chás de Erva Doce, de Maracujá e de Camomila.
Chá de Erva Doce auxilia a diminiur o inchaço e os gases que se acumulam no abdômem, principalmente quando ingerimos produtos com lactose. E pra quê os chás de Maracujá e Camomila? Para ajudar a diminuir a ansiedade que a gente fica logo que descobre ser Intolerante à Lactose.

→ Comece a preparar seus próprios alimentos
Ok, sei que não é todo mundo que gosta ou tem interesse em culinária. Mas, para quem quiser experimentar, preparar nossos próprios pães, bolos, biscoitos, tortas, sobremesas e porque não, almoço e jantar, é bastante gratificante, além de garantir nossa segurança alimentar. Isto é, quando preparamos nossos alimentos, sabemos quais são os ingredientes e temos certeza de que não tem lactose no que vamos comer.

Fora, que produtos caseiros são mais saborosos. Outro dia, comprei waffer e um biscoito recheado, que só continham traços de leite (minha IL é moderada). Não achei a menor graça nesses produtos. Só tem gosto de açúcar e essências artificiais. O que eu faço em casa, cujas receitas compartilho com vocês, é muito mais gostoso.

Com estas dicas, você vai conseguir conviver com a Intolerância à Lactose de maneira mais tranquila do que imaginava. Dá trabalho e é um tanto mais caro do que a alimentação sem restrições. Mas se você seguir estas poderosas dicas, vai evitar aquelas incômodas cólicas e os gases, entre outros sintomas.

E você, quer compartilhar o que faz para conviver com a sua Intolerância à Lactose?

Anúncios

De olho no leite de soja

Opção é o que não falta para quem precisa tomar leite de soja. Aqui em Belo Horizonte, a melhor relação custo-benefício está com a marca Yoki – Mais Vita.

Com preços variando entre R$2,69 e R$4,20, o Yoki Original é rico em vitaminas e em cálcio. Meu marido acha o sabor de baunilha muito acentuado, mas batido com frutas como vitamina, acho que até que combina. A Yoki dispõe também do Yoki Pura Soja, para uso culinário, que pode ser usado no fogão, sem acentuar tanto o gosto de soja, além de ter menos calorias que a versão original.

O leite de soja top de linha continua sendo o Ades.

O Ades é uma delícia e a linha original tem uma quantidade boa de sabores. Porém, com preços variando entre R$3,89 e R$6,25, o Ades só entra no meu carrinho de compras quando algum supermercado faz promoção. O Ades também é rico em cálcio e vitaminas.

Também no quesito rico em cálcio, tem o Nestlé Sollys.


O Nestlé Sollys tem ainda mais cálcio que o Ades e o Yoki e preços entre R$3,29 e R$4,20. Experimentei somente o sabor laranja (leite de soja mais suco de fruta) e o gosto não me agradou. Não tive coragem de provar o sabor Original.

Ainda entre os leites de soja enriquecidos com cálcio, está o Soy Olvebra.

O problema é que o Soy Olvebra é dificílimo de encontrar. Por isso, não tive oportunidade de experimentá-lo.

Aproveitando este nicho de mercado, mais duas marcas lançaram leites de soja. A Sococo e a Cemil.


Talvez empolgadas com a possibilidade de abocanhar esta fatia do mercado, estas empresas esqueceram de acrescentar cálcio em seus produtos… Ou seja, mata a vontade de tomar leite, mas não resolve a falta de cálcio! Que mancada!

A dupla dinâmica: Vitamina D e Cálcio

Desde novembro do ano passado, quando descobrir ter Intolerância à Lactose (IL), tive que ficar ainda mais atenta com minha alimentação. Não adianta simplesmente cortar o leite e derivados. É preciso observar outras fontes prováveis (biscoitos industrializados) e improváveis (adoçantes em pó) de lactose, além de aumentar a ingestão de outras fontes alimentares de cálcio e de vitamina D, que fixa o cálcio no organismo.

Como nem mesmo a nutricionista forneceu orientação suficiente sobre o que, quanto e quando deveria comer Cálcio + Vitamina D, acabei encontrando esta tabela (no link abaixo), que aponta várias fontes de Cálcio e Vitamina D, para acrescentarmos no nosso esquema alimentar.

Clica aí e confira fontes alimentares de Vitamina D e Cálcio –> Cálcio e Vitamina D

Espero que essa informação seja tão útil para vocês, quanto foi para mim. E já vou avisando, pão integral (sem lactose) com pasta de grão de bico pela manhã é muito gostoso!